Detido no Quênia suspeito de genocídio na antiga Iugoslávia

Nairóbi, 27 mar (EFE).- A Polícia do Quênia deteve um suspeito de crimes de guerra e genocídio na antiga Iugoslávia, disse hoje à Agência Efe em Nairóbi um porta-voz oficial.

EFE |

Segundo o porta-voz Eric Kiraithe, o detido "pode ser Ratko Mladic", ex-chefe militar dos sérvios da Bósnia, reclamado pelo Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII).

O suspeito foi detido ontem à noite em Mombaça, principal porto do Quênia, e suas impressões digitais foram enviadas à Interpol para determinar se ele é um dos possíveis criminosos da guerra dos Bálcãs.

Só restam dois fugitivos entre os acusados pelo TPII, Mladic e o antigo líder servo-croata Goran Hadzic.

Kiraithe não quis dar mais detalhes sobre como e em que lugar de Mombaça aconteceu a detenção, mas assegurou que as informações serão atualizadas nas "próximas horas", à medida que sejam recebidos "mais dados sobre a identidade do suspeito".

O TPII foi estabelecido há 15 anos e, até o momento, julgou 161 suspeitos, entre eles Radovan Karadzic, de 64 anos, que ostentou o cargo de presidente da República Sérvia da Bósnia, detido em Belgrado em 21 de julho de 2008. EFE pa/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG