Detentos da principal prisão de Porto Príncipe escapam após terremoto

Genebra, 13 jan (EFE).- A principal prisão da capital haitiana, Porto Príncipe, foi ao chão após o devastador terremoto que atingiu o país caribenho na noite desta terça-feira, possibilitando a fuga de vários detentos.

EFE |

"A prisão principal ficou destruída e há informações que confirmam que houve fugas de presidiários", declarou em entrevista coletiva Elisabeth Byrs, porta-voz do Escritório da ONU para a Coordenação de Assuntos Humanitários (Ocha, na sigla em inglês).

Byrs disse não ter mais detalhes sobre o ocorrido, mas comunicou que cinco funcionários da ONU morreram depois da queda do hotel que servia como sede para a entidade.

Além disso, segundo Byrs, entre 50 e 100 pessoas estariam sob escombros.

A porta-voz do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), Veronique Taveau, falou que a sede da organização em Porto Príncipe sofreu "graves danos" e seus sistemas de comunicação ficaram destruídos, mas que todos os seus funcionários foram localizados.

Taveau e Byrs relataram que o aeroporto de Porto Príncipe está funcionando para receber aviões com ajuda humanitária. O problema, segundo as porta-vozes, é levar a carga para a cidade devido aos danos provocados pelo terremoto nas estradas.

"O aeroporto funciona plenamente e pode receber voos", ressaltou Byrs.

"Todo o fornecimento municipal de água está cortado por causa dos danos sofridos", acrescentou.

Mais cedo hoje, a Federação Internacional da Cruz Vermelha (FICV) disse hoje que até três milhões de pessoas foram afetadas direta ou indiretamente pelo terremoto.

rcb/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG