Desmontada maior rede de roubo de cartões de crédito dos EUA

O Departamento de Justiça americano acusou 11 pessoas de terem roubado e vendido os números de cerca de 40 milhões de cartões de crédito, no maior caso de roubo de identidades já registrado nos Estados Unidos, segundo fontes judiciais.

EFE |

Os números dos cartões eram obtidos mediante a invasão dos sistemas de grandes cadeias de âmbito nacional, como TJX, BJ's Wholesale Club, OfficeMax, Boston Market, Barnes & Noble, Sports Authority e DSW.

Uma vez obtidos os números, os acusados criavam outros cartões de crédito e os utilizavam para sacar dezenas de milhares de dólares dos caixas automáticos.

Em entrevista coletiva em Boston, o procurador-geral do Estado, Michael Mukasey, assegurou que se trata do "caso mais complexo de roubo de identidade que o Governo já teve nas mãos".

Segundo o Departamento de Justiça, esta rede causou perdas generalizadas aos bancos, às lojas e aos próprios consumidores, apesar das autoridades não terem sido capazes de quantificar o valor.

As acusações foram apresentadas em Boston, embora alguns dos acusados estejam em Nova York, e um outro em San Diego.

Este último pôde obter cerca US$ 11 milhões com a venda dos números roubados, segundo as mesmas fontes.

Somente três dos acusados são cidadãos americanos, ao tempo que os demais são da Estônia, Belarus, Ucrânia e China.

Um dos acusados, Albert "Segvec" Gonzalez, residente em Miami, pode ser condenado à prisão perpétua por seu papel na trama.

    Leia tudo sobre: crimes virtuais

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG