Jerusalém, 28 ago (EFE).- O arcebispo sul-africano Desmond Tutu, símbolo da luta em seu país contra o apartheid, considera que os palestinos estão pagando pelo Holocausto nazista contra os judeus na Segunda Guerra Mundial.

"O Ocidente se envergonha do Holocausto, como deve ser, mas quem paga por isso? Os palestinos estão pagando", afirma o arcebispo sul-africano em entrevista publicada hoje pelo diário "Ha'aretz".

"Um diplomata alemão me disse uma vez que a Alemanha é culpada de dois erros: o que cometeu com os judeus e o sofrimento dos palestinos", diz Tutu, que visita Israel e os territórios palestinos com uma delegação da organização Elders.

Na delegação da Elders que visita a região estão dois ex-presidentes, o americano Jimmy Carter e o brasileiro Fernando Henrique Cardoso, e a antiga alta comissária da ONU para os Direitos Humanos, a irlandesa Mary Robinson.

Em alusão à declaração feita na Alemanha pelo primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, de que a lição que Israel deve aprender do Holocausto é que tem que se defender sozinho, Tutu disse: "a lição que Israel deve aprender do Holocausto é que a segurança nunca se garante com muros e armas".

Tutu se mostrou partidário de sanções seletivas a Israel por sua ocupação dos territórios palestinos, e explicou que "na África do Sul foram importantes" para que se alcançasse a igualdade de direitos entre a comunidade branca e negra.

O arcebispo sul-africano também criticou as organizações judaicas americanas que acusam sistematicamente de antissemita os que censuram a ocupação israelense dos territórios palestinos.

"Trata-se de algo infeliz", disse Tutu, ganhador do Prêmio Nobel da Paz por sua luta contra o apartheid. EFE amg/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.