Deslizamentos no sul da China deixam 24 mortos

Especialistas recomentam transferir moradores de província no sul do país, onde chove há 10 dias

EFE |

O deslizamento de terra em um povoado na província de Yunnan, no sul da China, já matou 24 pessoas,  informou hoje a agência oficial de notícias "Xinhua". Estão desaparecidos o mesmo número de vítimas. A avalanche assolou na terça-feira o povoado de Wama, que faz parte do distrito de Longyang, habitado por 82 pessoas, das quais 71 foram soterradas.

Especialistas indicam que a área é propensa a avalanches e recomendam transferir os moradores para locais mais seguros. As investigações preliminares apontam que a tragédia ocorreu quando 40 mil metros cúbicos de lodo e rochas soltas se desprenderam de uma encosta após 10 dias de chuva. Mais de 1,1 mil pessoas participaram das operações de resgate e 120 profissionais de saúde atendem aos feridos e trabalham na desinfecção do lugar para prevenir doenças.

A China enfrenta a cada ano, entre junho e setembro, um período de inundações que castigam principalmente o centro e o sul do país. Desde 1998, o país não sofria com chuvas tão intensas. Até o momento, 3.185 morreram, mais de 1,6 mil estão desaparecidas e 15,2 milhões tiveram de deixar suas casas. O pior fato registrado neste ano ocorreu em 8 de agosto, na localidade de Zhouqu, na província noroeste de Gansu, que ficou com 1.467 mortos e 298 desaparecidos.

    Leia tudo sobre: Chinadeslizamentos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG