Deslizamentos em Machu Picchu matam turista argentina e guia turístico

Lima, 26 jan (EFE).- Um turista argentina e um guia turístico peruano morreram em dois deslizamentos de terra registrados no Caminho Inca que leva às ruínas de Machu Picchu, na região da cidade peruana de Cuzco, declarada em estado de emergência após as intensas chuvas dos últimos dias.

EFE |

A jovem argentina, identificada como L.R., de 20 anos, morreu ontem na região de Wiñay Huayna, onde também ficaram feridas outras três pessoas. Já o guia turístico W.H. faleceu hoje no trecho conhecido como Inti Punku, segundo a rádio "Programas del Perú" ("RPP").

O acesso à cidadela inca foi fechado por três dias devido às intensas chuvas que causaram os deslizamentos em diferentes trechos do mesmo.

Estas mortes se somam às oito registradas desde domingo em Cuzco, a mais de 1.100 quilômetros ao sudeste de Lima, em decorrência das chuvas. Ainda não há números oficiais.

Calcula-se que há 50 feridos, mais de 100 desabrigados e mais de dois mil turistas ilhados.

O Governo peruano começou ontem usar helicópteros para retirar 20 turistas australianos, brasileiros e americanos, todos com problemas de saúde, de Machu Picchu, já que o serviço ferroviário foi interrompido pelas chuvas.

O presidente da associação de agências de turismo do Cuzco, Marco Ochoa, declarou hoje à "RPP" que as perdas diárias no setor oscilam entre US$ 750 mil e US$ 1 milhão.

Ochoa acrescentou que o povoado de Machu Picchu, aos pés da montanha da cidadela inca, não tem capacidade para abrigar todos os turistas e, por isso, foram improvisadas tendas de campanha na praça central do lugar.

Hoje, o primeiro-ministro peruano, Javier Velásquez, junto ao titular de Comércio Exterior e Turismo, Martín Pérez, viajaram com uma comitiva oficial para Cuzco.

O aeroporto de Lima vive uma situação de caos, dado que cinco voos entre Lima e Cuzco foram cancelados e mais de 20 estão sem confirmação ou atrasados.

Ontem, o Governo peruano declarou estado de emergência nas cidades de Calca, Quispicanchi, Cuzco, Urubamba, Canchis, La Convención e Anta, assim como no departamento (estado) de Apurímac.

Outras regiões afetadas pelas chuvas são Puno, Huancavelica, ambas no sul, assim como Junín (centro) e Tumbes (norte). EFE tg-wat/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG