As piores chuvas deste ano no país também deixam 24 feridos; previsão é de que precipitações continuem até madrugada de quinta

Deslizamentos de terra deixaram ao menos 32 mortos e 24 feridos nesta quarta-feira durante as piores chuvas da Coreia do Sul neste ano, que afetam a região central do país.

AFP
"Avalanche" de lama invadiu casas e tomou as ruas na capital Seul

Um dos deslizamentos aconteceu perto de uma represa do rio Soyang em Chuncheon, a 110 quilômetros ao nordeste de Seul, destruindo quatro casas e um hotel onde universitários estavam hospedados. Seis pessoas foram resgatadas após ficarem presas sob os edifícios destruídos.

Até o momento, cerca de 670 bombeiros e policiais se transferiram para a zona para ajudar nos trabalhos de resgate. Em Seul, a avalanche de lama sepultou cerca de 20 casas em um bairro do sul da cidade.

O Governo Metropolitano de Seul informou que as fortes chuvas provocaram inundações em ruas, estações de metrô, passagens subterrâneas e zonas residenciais, e também múltiplos deslizamentos de terra em vários barrancos da capital.

Até agora, 76 sul-coreanos estão em abrigos depois que 710 casas ficaram inabitáveis. A previsão é de que as fortes chuvas se prolonguem na capital até a madrugada de quinta-feira.

As precipitações em Seul entre terça-feira e a madrugada desta quarta superaram 400 milímetros, enquanto até as 10 horas locais a área de Soyang tinha registrado 262,5 milímetros de chuva, segundo a Administração Meteorológica de Coreia (AMC).

A AMC registrou por enquanto precipitações acima de 110 milímetros por hora, um volume recorde, em zonas do centro e do sul do país.

*Com EFE e AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.