Segundo autoridades, 25 foram mortos e mais de 100 estão desaparecidos após deslizamento em área mineradora

Um deslizamento de terra soterrou barracos em uma região mineradora do sul das Filipinas nesta quinta-feira, deixando ao menos 25 mortos e dezenas de desaparecidos, meses após o governo ter alertado os residentes que a montanha iria ceder.

Leia também: Número de mortos em enchentes nas Filipinas passa de 1,2 mil

Nessa foto divulgada pelo Exército filipino, residentes cavam na procura de sobreviventes na comunidade de Pantukan
AP
Nessa foto divulgada pelo Exército filipino, residentes cavam na procura de sobreviventes na comunidade de Pantukan

O incidente, o segundo em menos de nove meses na localidade de Pantukan, na ilha da Mindanao, ocorreu perto da região de Kingking, que supostamente tem uma das maiores jazidas não-exploradas de cobre no mundo.

A enconsta da montanha na aldeia de Napnapan deslizou por volta das 3h no horário local (17h de quarta-feira, em Brasília), quando a maioria dos residentes estava dormindo. O incidente arrasou cerca de 50 casas, barracos e outras construções, disseram autoridades. Uma fissura na montanha descoberta no ano passado foi provavelmente acentuada pelo excesso de chuvas que continua a atingir o país.

Centenas de filipinos realizam garimpo na área, na esperança de enriquecer apesar dos perigos da mineração não regulamentada. Os túneis são instáveis e deslizamentos de terra são comuns.

Além dos mortos confirmados, mais de cem moradores estão desaparecido, informou o governador da província Arturo Uy. Uma equipe de soldados e voluntários ajudam os moradores a procurar por sobreviventes e corpos. Os corpos de duas garotas de 6 e 14 anos estão entre os desaparecidos, segundo informou o porta-voz Leopoldo Galon.

Ao menos 16 feridos foram levados para o hospital, sendo que seis deles estão em situação crítica.

O secretário de Meio Ambiente e Recursos Naturais, Ramon Paje, disse que alertou os residentes e as autoridades locais no ano passado para a fissura na montanha, a qual os geologistas classificaram como "altamente suscetível" para deslizamentos, que poderiam ocorrer a qualquer momento. "Era um alerta de 100%. Nós dissemos que era só uma questão de tempo. E é isso. Isso que aconteceu nessa manhã."

O porta-voz municipal Arnulfo Lantayan disse que chuvas carregadas dificultam as buscas e aumentam os riscos de novos deslizamentos "porque ainda há movimentação de terra".

Saul Pingoy, um residente, disse à rádio DZMM que estava dormindo em uma casa a cerca de 50 metros do deslizamento quando sentiu o chão tremer e escutou o barulho das pedras batendo nos telhados."A montanha mesmo estava enviando alertas com a queda das pedras", disse.

A província do Vale Compostela é uma das principais da ilha de Mindanao, nas Filipinas, onde enchentes provocadas por uma tempestade tropical, matou mais de 1.250.

Com Reuters e AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.