Deslizamento após tufão soterra até 600 em aldeia de Taiwan

Por Ralph Jennings CISHAN, Taiwan (Reuters) - Helicópteros colocaram nesta terça-feira equipes de resgate numa aldeia isolada do sul de Taiwan onde até 600 pessoas ficaram soterradas depois da passagem de um tufão, disseram autoridades.

Reuters |

O sobrevivente Lee Chin-long, de 50 anos, disse ter visto horrorizado a entrada de enormes quantidades de lama que cobriram a maior parte da aldeia com cerca de mil moradores, agora isolada.

"Eu estava vendo do andar de cima da minha casa. A montanha inteira pareceu desabar. Quando vi isso, comecei a correr", disse Lee, refugiado num abrigo da vizinha cidade de Cishan, que se tornou o epicentro das operações de resgate. "Quase todas as casas sumiram, exceto um par."

Nos últimos dias, mais de 80 pessoas morreram por causa do tufão Morakot e da tempestade tropical Etau, sendo 41 em Taiwan, 23 nas Filipinas, 13 no Japão e 6 na China, segundo autoridades desses países. Os prejuízos chegam a centenas de milhões de dólares.

O Morakot provocou chuvas fortes, deslizamentos, transbordamentos de rios e inundações de lavouras em toda a ilha. Um hotel de seis andares foi arrastado para um rio.

O local mais preocupante é mesmo a aldeia de Hsiao Lin, no montanhoso condado de Kaohsiung. As autoridades dizem que há cerca de 600 desaparecidos, provavelmente soterrados.

A Defesa Civil disse que cerca de cem moradores já foram resgatados, mas outros continuam retidos na aldeia.

"Ainda estamos no local verificando", disse um funcionário. O tráfego terrestre está interrompido por causa dos danos em estradas e pontes.

O tufão começou a perder força sobre as regiões costeiras da China depois de castigar Taiwan. Ele provocou inundações no populoso sul da ilha, e os prejuízos agrícolas em todo o país são estimados em mais de 150 milhões de dólares.

A empresa financeira local SinoPac disse que o tufão deve fazer o PIB de Taiwan recuar em mais 0,5 por cento no terceiro trimestre, por causa dos prejuízos no setor de agricultura e turismo.

No Japão, a tempestade Etau aproximou-se da ilha central e de Tóquio, horas depois de um terremoto de magnitude 6,5 que assustou os moradores e afetou os transportes, mas sem provocar danos graves.

A chuva provocada pelo Etau já matou 13 pessoas, e há 15 outras desaparecidas nas regiões de Hyogo e Okayama, no oeste japonês, segundo autoridades municipais.

(Reportagem adicional do bureau de Pequim; Chisa Fujioka em Tóquio; e Rosemarie Francisco in Manila)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG