Desemprego nos EUA é o maior dos últimos quatro anos

A taxa de desemprego dos Estados Unidos chegou a 5,7% em julho, segundo dados do governo, a mais alta em mais de quatro anos. Durante o mês a economia americana perdeu 51 mil empregos urbanos, de acordo com o Departamento do Trabalho.

BBC Brasil |

Companhias cortaram vagas de trabalho pelo sétimo mês seguido, mas as perdas foram menores do que as previstas por analistas.

Economistas esperavam a redução de 75 mil empregos. Apesar do índice menor, os analistas afirmam que a economia do país ainda está enfraquecida.

O emprego no setor industrial foi o que sofreu a maior perda, 35 mil vagas fechadas em julho. Cerca de 22 mil vagas foram fechadas no setor de construção.

Os dois únicos setores que tiveram criação de empregos foram governo, hospitalidade, educação e serviços de saúde.

Revisão
O Departamento do Trabalho dos Estados Unidos revisou os números de desemprego divulgados em meses anteriores.

Em maio foram cortadas 47 mil vagas ao invés das 62 mil divulgadas anteriormente. E, em junho, foram 51 mil vagas de emprego perdidas, ao invés de 62 mil.

"As pessoas pensaram que o número de (corte de) empregos urbanos (para julho) seria um número ruim", disse Marc Pado, estrategista de mercados para a consultoria Cantor Fitzgerald.

"Não apenas o último número foi entre 20 e 25 mil menor do que o esperado, mas os dois meses anteriores também foram revisados. Então, não é um bom número, mas não é tão ruim como se esperava", acrescentou.

Segundo os especialistas, as companhias americanas estão segurando novas contratações em meio aos aumentos do preço do petróleo e dos alimentos e à desaceleração econômica.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG