Desemprego na Califórnia aumenta para 11,9% e Schwarzenegger pede reformas

O nível de desemprego na Califórnia, estado mais rico dos Estados Unidos, chegou a 11,9% em julho, levando o governador Arnold Schwarzenegger a fazer um apelo nesta sexta-feira por mais reformas que ajudem recuperar a economia local.

AFP |

O "Golden State" perdeu 35.800 postos de trabalho no mês passado, indo em direção contrária à tendência nacional em julho, quando a taxa de desemprego caiu de maneira inesperada para 9,4%, contra 9,5% em junho, segundo dados do departamento do Trabalho.

Desde o ano passado, a Califórnia - estado mais povoado do país, com 37 milhões de habitantes - já perdeu 760.000 empregos, empatando com o Oregon (noroeste) como quarta taxa de desemprego mais alta do país, atrás de Michigan, Rhode Island e Nevada.

O índice de desemprego na Califórnia em junho foi de 11,6%, cifra que não era registrada no estado desde o pós-Segunda Guerra Mundial, segundo o jornal Los Angeles Times.

"Estes números indicam que temos que fazer todo o possível para conseguir que a Califórnia avance", disse em um comunicado o governador, Arnold Schwarzenegger.

"Temos que consertar o que se quebrou neste estado, seja nossa infra-estrutura para a água, nossas prisões e sistemas de pensões ou nosso sistema impositivo - estes são pontos críticos que precisam ser abordados para reconstruir o 'Golden State'", acrescentou.

A Califórnia sofre com um astronômico déficit fiscal, estimado em mais de 26 bilhões de dólares para os próximos dois anos. Em julho, Schwarzenegger e a os parlamentares californianos aprovaram um orçamento cheio de cortes para os programas sociais, no qual as principais vítimas foram o setor educativo, o da saúde e os funcionários públicos.

pb/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG