Descumprimento de propaganda eleitoral no Equador é denunciada

Quito, 25 abr (EFE).- A Participação Cidadã do Equador, uma das organizações que supervisiona as eleições gerais que serão realizadas neste domingo no país, denunciou hoje o descumprimento da proibição de propaganda eleitoral por parte de vários candidatos.

EFE |

Ruth Hidalgo, diretora da Participação Cidadã, disse em entrevista coletiva que, apesar do período para a campanha eleitoral ter terminado à meia-noite da quinta-feira passada, em várias emissoras de rádio ainda podiam ser ouvidas neste sábado anúncios de alguns políticos.

Embora não tenha precisado a qual candidato correspondia a publicidade, Ruth disse que pedirá ao Conselho Nacional Eleitoral (CNE) que averigue as denúncias e que atue imediatamente para impedir que a lei eleitoral seja violada.

"Este tipo de prática faz um desfavor à democracia", disse Ruth, criticando também o fato de que algumas autoridades, que concorrem à reeleição, percorreram obras por estes dias, o que também pode ser considerado como uma violação das normas eleitorais.

Mais de dez milhões de equatorianos estão habilitados para ir às urnas e escolher o presidente da República, legisladores da Assembleia Nacional, prefeitos, governadores regionais provinciais e vereadores municipais. EFE fa/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG