Descobertos na Grécia 43 sepulcros da Idade do Ferro e pré-helênicos

Atenas, 10 set (EFE).- Uma equipe de arqueólogos desenterrou na província grega da Macedônia (norte) um total de 43 sepulcros que abrangem um período de quase quatro séculos, desde o ano 650 ao 279 antes de Cristo, segundo informou hoje o Ministério de Cultura.

EFE |

Trata-se do resultado das escavações realizadas durante este ano no cemitério ocidental do povoado de Arjontiko, a 5 quilômetros de Pelas, capital do Império da Macedônia durante sua época de esplendor e cidade natal de Alexandre, o Grande.

Entre os achados destaca o sepulcro de uma menina que abriga uma coroa de cobre banhada de ouro, três ânforas de cerâmica, um cântaro de cobre e um busto de argila arenosa da morta de dimensões naturais.

Segundo os primeiros estudos, os túmulos dos varões, datados entre 580 e 480 antes de Cristo, pertenciam a guerreiros e continham capacetes de cobre ou máscaras de ouro; lanças e uma faca; jóias de ouro, prata e cobre; estatuetas de móveis e carros; e ídolos de deuses e animais, além de ânforas.

Algumas tumbas de mulheres dessa época apresentaram ricos tesouros de jóias, facas de ferro, estatuetas de argila arenosa e cântaros de cobre.

Durante as escavações dos últimos oito anos, feitas em apenas 5% do recinto, foram localizados 915 sepulcros.

Esses enterros revelam o crescimento econômico e a composição demográfica do povo com os cadáveres enterrados em sepulcros de terra e sarcófagos de madeira, ordenados por famílias, gênero e status social.

O assentamento de Arjontiko ficava em um cruzamento de caminhos de grande importância estratégica, tanto militar como para o comércio de objetos de luxo e de matérias-primas através dos séculos, segundo informaram os cientistas. EFE afb/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG