Descobertos genes que permitem modificar a fragrância das flores

Dar aroma às flores que não o possuem, tornar a fragrância mais suave ou doce, ou modificá-la completamente serão alternativas disponíveis para quem se dedica à floricultura, informou uma equipe de pesquisadores do Instituto de Alimentos e Ciências Agrícolas da Universidade da Flórida (UF).

AFP |

Os cientistas descobriram os genes da complexa mistura química que produz a fragrância de uma flor, e abriram novos caminhos para modificar ou aumentar os compostos de aroma e produzir os cheiros desejados.

"Durante muito tempo os cultivadores se focaram especialmente no aspecto da flor, seu tamanho, sua cor e quanto tempo dura, mas a frangrância ficou esquecida", assinalou David Clarck, professor de horticultura ambiental na UF.

No futuro isso poderá mudar e as pessoas terão como escolher entre uma variedade de aromas, ou ainda uma sem cheiro, da mesma flor, disseram os cientistas.


No futuro, será possível ter flores
até sem fragrância (Imagem:Getty Images)

Por mais de dez anos, Clark e outros pesquisadores analisaram este fenômeno através dos genes de 8 mil petúnias e chegaram a algumas conclusões impressionantes. Por exemplo, eles concluíram que o gene responsável pela fragrância do leite de rosas é o mesmo que dá sabor aos tomates.

Por manipulação desse gene, os cientistas conseguiram gerar tomates mais saborosos, e atualmente se dispõem a preparar sua comercialização, assim como com a fragrância das rosas.

Leia mais sobre: Flores

    Leia tudo sobre: genética

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG