Descobertas penas laranjas em dinossauro

Pela primeira vez na história, cientistas conseguiram confirmar a cor de um dinossauro, e surpresa, nada de verde musgo, marrom ou roxo como o personagem Barney, da TV. O pequeno carnívoro Sinosaupteryx, encontrado na China, era laranja e branco.

Redação com AP |

Estruturas celulares responsáveis pela pigmentação de pele e penas, chamadas melanossomas, foram encontradas nas penas rudimentares da cauda de um fóssil de 125 milhões de anos, diz o pesquisador Mike Benton, professor de paleontologia na Universidade de Bristol, que publicou o estudo na revista científica Nature. Segundo Benton, esses melanossomas são similares aos que dão a cor ruiva nos cabelos humanos.

Até agora, as cores na pele e penas de dinossauros eram apenas fruto da especulação de paleontólogos. Mas desde que foi estabelecida sua conexão evolutiva com as aves, a comunidade científica acreditava que os dinossauros também poderiam ter sido coloridos.


O Sinosaupteryx tinha cauda listrada de laranja e branco (Imagem/AP)

Com a ajuda de um microscópio eletrônico, a equipe da Universidade de Bristol conseguiu identificar os melanossomas no fóssil, encontrado no nordeste da China. Pelo formato de cada melanossoma, foi possível identificar suas cores: os esféricos para vermelho e os cilíndricos, para branco, distribuídas em listras por toda a cauda.

O Sinosaupteryx era um pequeno dinossauro bípede e carnívoro, de pouco mais de um metro de comprimento, pertencente ao grupo dos terópodes. A descoberta reforça ainda mais a teoria de uma ligação evolutiva entre estes animais e as aves, dizem cientistas.

Leia mais sobre: Dinossauro

    Leia tudo sobre: dinossauro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG