Descobertas novas provas de vida animal de 365 milhões de anos

Londres, 4 fev (EFE).- A descoberta de fósseis químicos com mais de 365 milhões de anos em rochas sedimentares em Omã se transformou na evidência de vida animal mais antiga conhecida, publica hoje a revista britânica Nature.

EFE |

O estudo, realizado por uma equipe da Universidade da Califórnia (EUA), indica que já no Período Proterozóico as águas pouco profundas reuniam uma concentração suficiente de oxigênio para permitir a vida de organismos multicelulares.

A equipe concluiu que estes organismos simples poderiam ter habitado a Terra 100 milhões de anos antes da Explosão Cambriana.

Esta explosão ocorreu há 530 milhões de anos, quando ocorreu subitamente uma explosão na biodiversidade da Terra. EFE avh/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG