Descoberta pista no cérebro sobre uma das origens da obesidade

Washington, 27 ago (EFE).- Cientistas americanos descobriram que uma substância cerebral que tem uma importante função na memória também parece estar envolvida na regulação do consumo de alimentos e na tendência à obesidade.

EFE |

Em um relatório publicado hoje pela revista "New England Journal of Medicine", os cientistas do Instituto Nacional da Saúde Infantil e do Desenvolvimento Humano sugerem que a descoberta poderia ajudar a combater o aumento de peso.

A substância, conhecida como BDNF, já tinha sido citada em pesquisas com animais como importante no controle do apetite.

Na pesquisa realizada com crianças e adultos com o transtorno genético chamado síndrome de WAGR, os cientistas descobriram que alguns deles careciam de um gene correspondente ao BDNF e que, em coincidência, mostravam muito apetite e uma constante tendência à obesidade.

"Esta é uma nova e promissora pista sobre as origens biológicas que contribuem para a obesidade", disse Duane Alexander, diretor do instituto.

"É possível que, em última instância, esta descoberta conduza ao desenvolvimento de novos medicamentos para controlar o apetite em pessoas que não tiveram sucesso com outros tratamentos", acrescentou.

A síndrome de WAGR é um transtorno que se manifesta com uma série de sintomas e doenças, incluindo tumores renais, ausência de íris ocular, anormalidades genitais e do trato urinário, e retardamento mental.

Em seu estudo, os cientistas analisaram o cromossomo 11 de 33 pacientes com síndrome de WAGR, e 19 deles mostraram que careciam de toda ou grande parte da cópia do gene BDNF. EFE ojl/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG