Descartada células malignas em nódulo no pulmão do Rei da Espanha

Barcelona, 8 mai (EFE).- A intervenção à qual foi submetido hoje o rei Juan Carlos no Hospital Clínico de Barcelona para retirar um nódulo de seu pulmão direito descartou a existência de células malignas.

EFE |

Barcelona, 8 mai (EFE).- A intervenção à qual foi submetido hoje o rei Juan Carlos no Hospital Clínico de Barcelona para retirar um nódulo de seu pulmão direito descartou a existência de células malignas. Em entrevista coletiva, o médico que coordenou a operação, Laureano Molins, informou que o Rei já está acordado, passa bem e em três ou quatro dias receberá alta. Indicou também que o monarca não terá de fazer tratamento específico em consequência da intervenção. O rei da Espanha chegou ao hospital às 7h30 no horário local (2h30min em Brasília) e entrou na sala de cirurgia às 9h20 na hora local (4h20 em Brasília) para retirar um nódulo no pulmão direito. A intervenção cirúrgica durou cerca de 2h30min e o monarca, de 72 anos, recebeu anestesia geral, acrescentou o médico, quem ressaltou que não foi necessário retirar o lóbulo pulmonar no qual se encontrava a lesão. Os resultados da análise anatômico-patológica realizado sobre o nódulo descartaram células cancerígenas, manifestou o médico. A equipe médica que coordenou no final de abril a última avaliação médica anual do rei Juan Carlos "considerou necessário analisar possíveis mudanças morfológicos de uma calcificação no pulmão direito, já encontrada em análises anteriores", segundo informou a Casa Real. Por isso, no último dia 28 de abril "foi realizado um estudo que revelou a existência de um nódulo de 19 por 12 milímetros, situado no lóbulo superior do pulmão direito". Após a localização, "constatou-se a necessidade de realizar a retirada para análise do nódulo", precisaram as mesmas fontes. A Casa do Rei informou que a rainha Sofia chegou ao meio-dia ao hospital e que a infanta Cristina viajará a Barcelona na segunda-feira. O Governo espanhol garantiu que devido o tempo em que o Rei vai permanecer sedado por causa da intervenção cirúrgica não impedirá o exercício normal de suas funções, indicou à Agência Efe um porta-voz do Palácio da Zarzuela, a residência real. Essa circunstância torna desnecessária qualquer medida prevista pela Constituição para uma eventual inabilitação do Chefe do Estado. A Casa do Rei manteve informados sobre a intervenção cirúrgica à qual foi submetido o rei Juan Carlos I o Chefe do Governo, o Presidente do Congresso, o líder da oposição, e o governador da Catalunha, já que a operação ocorreu em Barcelona. O tipo de intervenção à qual foi submetido o Rei permitiu também que o herdeiro da Coroa, o príncipe Felipe, mantivesse a agenda prevista e fosse à posse da nova presidente da Costa Rica, Laura Chinchila. A Casa do Rei anulou por enquanto duas atividades do monarca nesta semana: a entrega de cartas credenciais de novos embaixadores que iria ocorrer na quinta-feira, e a visita a uma unidade de Infantaria da Marinha em Cartagena prevista para quarta-feira. Em entrevista coletiva e após a realização de uma reunião, o presidente do Governo espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, e o vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, desejaram neste sábado uma pronta recuperação ao Rei. "Estamos tranquilos, como esperávamos, disse Zapatero após ressaltar que "as coisas saíram bem". Igualmente, Biden desejou "melhoras" na recuperação do Rei e elogiou sua figura como "homem de uma integridade total" e uma grande vontade pessoal. Biden confessou que ontem, quando se reuniu com o Rei no Palácio da Zarzuela desconhecia que este fosse passar por uma intervenção cirúrgica neste sábado. EFE nac/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG