Desabamento de escola mata cinco crianças na Rússia

Por Dmitry Nemaltsev BELYAYEVKA, Rússia (Reuters) - Parte de uma escola na cidade russa de Belyayevka desmoronou nesta quarta-feira, matando cinco crianças e deixando outras quatro feridas. Os estudantes são as vítimas mais recentes das condições precárias das construções públicas no país.

Reuters |

Uma ala inteira do edifício de dois andares no qual funcionava a escola, no sudeste dos Urais, desabou, espalhando destroços por uma grande área.

Moradores da cidade correram para ajudar os bombeiros e os policiais que tentavam retirar as crianças dos escombros, enquanto equipes de emergência enviadas de Orenburg trouxeram um guindaste para auxiliar na remoção dos destroços.

"Um total de 11 crianças foi tirado dos escombros. Cinco delas estão mortas. Quatro estão feridas e 800 pessoas foram retiradas do local", disse uma porta-voz do Ministério de Emergências em Orenburg, capital da Província. O número total de mortos não deve subir, acrescentou a porta-voz.

O colapso deixou a céu aberto um mapa da região feito pelas crianças e um pôster em memória de heróis de guerra locais. Os dois painéis estão afixados em uma parede que antes ficava ao lado de uma escada interna.

Na escola, estudavam alunos com idades de 7 a 17 anos.

Promotores iniciaram uma investigação criminal a respeito do acidente para identificar eventuais violações de normas de segurança. Ao mesmo tempo, especialistas tentam precisar o principal ponto de fragilidade do prédio, construído em 1962.

"A principal parede de sustentação do prédio ruiu, não a do poço da escada. O acidente não foi provocado pelas obras de reforma do teto, mas pode ter ligação com a retirada de janelas antigas", afirmou Angelina Linkova, uma autoridade no gabinete do promotor da região.

Rachaduras podiam ser vistas nas paredes ainda em pé, cujas janelas foram substituídas antes do desmoronamento parcial do prédio, disse um fotógrafo presente no local.

Muitas escolas russas e outros prédios públicos do país estão em péssimo estado de conservação após décadas de descaso. O governo da Rússia, no entanto, prometeu reformar os prédios em condições precárias.

Dois anos atrás, 45 mulheres morreram em um incêndio ocorrido em um centro para dependentes de drogas. Dias depois, 62 idosos e funcionários perderam a vida em um asilo do sul do país.

Esses foram os piores acidentes de uma série de eventos semelhantes atribuídos ao péssimo estado de conservação de prédios públicos na Rússia.

(Reportagem adicional de Ludmila Danilova)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG