Derrota na reta final emociona judoca brasileiro

A grande expectativa em Pequim de uma possível medalha para o Brasil na categoria médio do judô estava na jovem Mayra Aguiar, de apenas 17 anos, mas foi Eduardo Santos quem surpreendeu e chegou mais perto. O judoca paulista iniciou a disputa olímpica nesta quarta-feira com duas convincentes vitórias por ippon (pontuação máxima no judô) contra o chinês He Yanzhu e o venezuelano Jose Gregorio Camacho.

BBC Brasil |

Nas quartas-de-final, foi derrotado pelo francês Yves-Matthieu Dafreville em uma luta equilibrada, mas se recuperou ao vencer o italiano Renato Meloni, de novo por ippon, na repescagem.

O fim da trajetória de Eduardo em Pequim veio na última luta antes da disputa pelo bronze.

Depois de chegar ao fim sem vencedor no tempo normal (cinco minutos) e na prorrogação (mais cinco minutos), o confronto com o suíço Sergei Aschwanden teve de ser decidido pelos juízes, que deram a vitória ao adversário do brasileiro.

"Não sei o que dizer", disse Eduardo, emocionado, após a derrota. "Fiz o melhor que pude, mas não deu."
"Queria falar para meu pai e minha mãe que dei o melhor de mim, mas não tive competência para derrubar o adversário", acrescentou o brasileiro para, em seguida, se retirar para o vestiário às lágrimas.

Trajetória
No torneio feminino (até 70 kg), Mayra Aguiar - que venceu uma etapa da Copa do Mundo neste ano e foi campeã pan-americana em 2007 - acabou fora da disputa de medalhas após perder a luta contra a espanhola Leire Iglesias na primeira rodada.

O judô feminino conquistou na última segunda-feira, com o bronze de Ketleyn Quadros na categoria leve (até 57 kg), a primeira medalha olímpica de uma mulher brasileira em um esporte individual.

Entre os homens, Leandro Guilheiros (categoria leve, até 73 kg) e Tiago Camilo (meio-médio, até 63 kg) também conquistaram o bronze em Pequim.

Eduardo Costa seguia o mesmo caminho, pela repescagem, até a derrota para o suíço na categoria médio (até 90 kg).

No São Caetano, clube onde treina, Eduardo foi por algum tempo reserva de Tiago Camilo e Carlos Honorato, vencedor da medalha de prata em Sydney-2000.

O judoca de 25 anos só entrou para a seleção brasileira no final de 2007. Para conseguir a vaga em Pequim, teve que passar por quatro seletivas regionais e nacionais.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG