Deputados uruguaios aprovam adoção por casais homossexuais

A Câmara dos Deputados do Uruguai aprovou, nesta quinta-feira, um projeto de lei que permite a adoção de crianças por casais homossexuais. A lei passará agora pelo Senado, onde a votação está sendo considerada apenas uma formalidade, já que os senadores já haviam aprovado a versão preliminar do projeto.

BBC Brasil |

Caso seja aprovada no Senado, o Uruguai se tornará o primeiro país da América Latina a autorizar a adoção por casais homossexuais.

Dos 99 deputados que compõem a Câmara no Uruguai, 53 estavam presentes na votação e 40 votaram a favor da medida.

O governo do presidente Tabaré Vázquez - o primeiro líder de esquerda a assumir a presidência do Uruguai - aprovou em maio o acesso dos homossexuais às escolas militares do país.

Em 2008, o governo também aprovou a união civil entre homossexuais.

Críticas

Apesar disso, a lei sobre a adoção causou polêmica no país.

Em entrevista ao canal de televisão Univision, o arcebispo de Montevidéu, Nicolas Cotugno, afirmou que "o tema da adoção de crianças por homossexuais se refere essencialmente à natureza humana e consequentemente se trata de ir contra os direitos fundamentais do ser humano enquanto pessoa".

O porta-voz da ONG Coordinadora Nacional por la Vida, Nestor Martinez também criticou a medida em entrevista ao jornal uruguaio "El Pais", na qual afirmou que o projeto de lei "constitui um retrocesso e um atentado aos direitos das crianças".

A votação da lei no Senado deve acontecer antes do dia 15 de setembro, quando se encerram as atividades do legislativo por conta das eleições presidenciais, agendadas para outubro.



Leia mais sobre homossexuais

    Leia tudo sobre: adoçãohomossexuaisuruguai

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG