Deputados macedônios acusados de crimes de guerra perdem imunidade

Skopje, 27 set (EFE).- O Parlamento macedônio retirou hoje a imunidade de dois deputados do partido União Democrática para a Integração (BDI), da coalizão do Governo, ambos acusados de crimes contra a população civil durante o conflito armado na Macedônia em 2001.

EFE |

Hisen Dzemaili, do BDI, partido derivado da antiga guerrilha albano-macedônia, é acusado de envolvimento em torturas de civis durante sete meses de conflito de 2001, quando essa guerrilha e as forças de segurança estatais se enfrentaram.

Outro deputado do BDI, Hajrulla Misini, é acusado de fechar durante três meses o sistema de fornecimento de água em Kumanovo, cidade com 100 mil habitantes no norte do país.

O caso é um dos quatro cedidos pelo Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII), com sede em Haia (Holanda), à Justiça macedônia.

O líder do BDI, Ali Ahmeti, afirmou que "não haverá crise no Governo" pela retirada da imunidade dos dois deputados, embora o partido tenha votado contra no Parlamento.

O BDI, maior partido da minoria albanesa - 25% da população do país balcânico, de dois milhões de habitantes - faz parte do Governo junto com a Organização Revolucionária Macedônia Interna-Partido Democrático pela Unidade Nacional da Macedônia (VMRO-DPMNE), do premier Nikola Gruevski. EFE Ib/wr/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG