Cairo, 28 abr (EFE).- Vários parlamentares egípcios pediram na Câmara Baixa do Parlamento o sacrifício de todos os porcos do país, cujo número se calcula em aproximadamente 350 mil, informa hoje a imprensa local.

Os deputados pediram ao Governo que isole as fazendas de porcos e as transfira para longe dos núcleos urbanos, para evitar que a gripe suína possa se estender.

A solicitação coincide com as primeiras medidas adotadas pelo Ministério da Saúde egípcio para prevenir que a doença chegue ao país, de maioria muçulmana e onde a carne de porco é consumida majoritariamente pela minoria cristã, que constitui 10% da população.

A religião muçulmana considera os porcos impuros e proíbe o consumo de carne deste animal.

Além disso, em portos e aeroportos foram estabelecidas salas de quarentena e unidades de controle, em previsão da aparição de algum caso.

Outros países árabes da região, como o Líbano e a Jordânia, já proibiram a importação de carne porco. EFE nq/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.