Deputados britânicos têm ações em empresas com atividades no Zimbábue

Londres, 29 jun (EFE).- Pelo menos sete deputados britânicos, entre eles dois destacados membros da oposição conservadora, têm ações em empresas que operam no Zimbábue, denuncia hoje o jornal The Independent on Sunday.

EFE |

O deputado Dominic Grieve defendeu sua decisão de não vender as ações no valor de 303.000 euro que tem em empresas como Shell, as mineiras Rio Tinto e Anglo American e o banco Standard Chartered.

Grieve reconheceu que seu partido "deixou bem claro que as empresas que operam no Zimbábue devem cumprir com os mais altos padrões éticos" e acrescentou: "Estou totalmente de acordo".

O líder dos "tories", David Cameron, pediu na semana passada a todos os investidores no Zimbábue que "examinem suas próprias responsabilidades" e afirmou que empresas e particulares não deviam "fazer investimentos que sustentem o regime de Robert Mugabe".

O responsável de Transportes dos conservadores, Robert Goodwill, outro dos nomeados pelo jornal, disse que não se sentia "especialmente orgulhoso de ter ações da Barclays", mas acrescentou que era preferível pressionar o banco na qualidade de acionista.

Além disso, se justificou, "não é o melhor momento de vender ações desse banco".

Outros deputados conservadores com ações nas empresas que continuam operando no Zimbábue são os "tories" Jonathan Djanogly, Tim Boswell, John Stanley e Anthony Steen, além do liberal-democrata Robert Smith. EFE jr/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG