Londres, 2 ago (EFE).- Um grupo de deputados trabalhistas quer que o ministro de Inovação e Empresa britânico, Peter Mandelson, renuncie a seu posto na Câmara dos Lordes para defender uma cadeira de deputado nas próximas eleições gerais, o que eventualmente o permitiria substituir Gordon Brown como líder do partido.

Segundo o jornal "The Sunday Telegraph" publica hoje, é um grupo de "blairistas" - partidários do ex-primeiro-ministro Tony Blair - que quer garantir a continuidade da linha ideológica do Novo Trabalhismo, encarnado também por Brown e Mandelson, depois das próximas eleições, que os trabalhistas podem perder e isso possivelmente motivaria a renúncia de Brown.

De acordo com o plano, Mandelson, que foi nomeado lorde em outubro para justificar seu retorno ao Governo pelas mãos do atual primeiro-ministro, concorreria ao pleito, previsto para 2010, como candidato por uma circunscrição "segura" (garantida aos trabalhistas) do nordeste inglês.

Supõe-se que, se fosse eleito e Brown renunciasse, poderia se apresentar como candidato a liderar o Partido Trabalhista.

O empecilho principal desta estratégia, sobre a qual o interessado ainda não se pronunciou, é que depende da pronta aprovação de uma lei que permitirá aos lordes vitalícios renunciar a sua cadeira.

Mandelson, um dos mais proeminentes "sobreviventes" políticos do Governo trabalhista, onde ocupou vários cargos de ministro e protagonizou outras tantas renúncias, deixou sua cadeira por Hartlepool em 2004 para se transformar em comissário de Comércio da União Europeia (UE).

Desde seu retorno a um Executivo em dificuldades no ano passado, seu poder aumentou consideravelmente, até o ponto que agora é considerado chave para garantir a sobrevivência de Brown e a união dos trabalhistas. EFE jm/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.