Deputados argentinos prorrogam faculdades especiais ao governo

O governo argentino superou um teste crucial na Câmara dos Deputados, que aprovou na noite da quarta-feira a prorrogação por um ano da delegação de faculdades especiais ao Poder Executivo, incluindo a de taxar a exportação, e agora espera pela votação no Senado.

AFP |

A Câmara aprovou a prorrogação com 136 votos a favor, 100 contra e sete abstenções. A medida chegaria ao fim no dia 24 de agosto.

O governo conseguiu o apoio de blocos da oposição ao aceitar introduzir algumas modificações ao projeto original, como a das faculdades serem delegadas exclusivamente à presidência e à chefia de gabinete.

Também aceitou assimilar de seis a oito membros à comissão bicameral especial responsável por revisar as 1900 leis que vencem em 24 de agosto.

Este foi o primeiro desafio importante para o governo no Congresso desde a derrota sofrida nas eleições legislativas de 28 de junho, nas quais a presidente Cristina Kirchner perdeu a maioria na Câmara e no Senado.

As faculdades especiais concedidas ao Executivo representam um tema chave para o governo, já que entre os poderes delegados está o Código Aduaneiro, o que permite determinar as alíquotas a cobrar por direitos de exportação.

ls/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG