Assunção, 10 jun (EFE).- A Câmara dos Deputados do Paraguai aprovou hoje um projeto de lei que penaliza a ação de cambistas, motivado pelos recentes acontecimentos envolvendo a partida de domingo com o Brasil em Assunção, pelas Eliminatórias Sul-Americanas à Copa do Mundo de 2010.

O projeto, que deve ser enviado ao Senado, prevê uma multa equivalente a três salários mínimos (cerca de US$ 982) e a apreensão dos ingressos daqueles que cobrarem por elas valores acima do estipulado.

A norma foi apresentada pelo deputado Cándido Aguilera, do Partido Colorado, que está no poder. Em caso de reincidência, os infratores poderão pegar até três anos de prisão.

Aguilera voltou a apresentar o projeto em 29 de maio, em meio à revolta da torcida local pela revenda de entradas para o jogo. Houve um aumento dos preços em dezembro de 2006, sem resultado.

O deputado acredita que a medida será aprovada pelos senadores: "Atacaremos o maldito costume da revenda, que está sendo feito de forma grosseira e avessa".

Os ingressos para a partida, pela quinta rodada das Eliminatórias, acabaram no mesmo dia em que foram colocados à venda, principalmente para os setores de menor preço.

Uma das empresas responsáveis pela comercialização das entradas explicou que grande parte dos 36.000 lugares disponíveis do estádio Defensores del Chaco acabaram - mesmo com a limitação de até cinco ingressos por pessoa.

A firma também explicou que milhares de entradas sequer foram aos guichês pelas reservas feitas por empresas e patrocinadores da federação de futebol local, que iriam sorteá-las ou repassá-las.

Denúncias apontam que a maioria dos ingressos está em poder dos cambistas, que os vendem a preços muito acima do valor real. EFE rg/dp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.