Bogotá, 21 jun (EFE).- O deputado Sigifredo López, seqüestrado pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) desde 2002, deu um prazo ao Governo colombiano e a essa guerrilha para fechar um acordo humanitário e pediu a todos os setores que apóiem as gestões da senadora Piedad Córdoba e do presidente venezuelano, Hugo Chávez.

O deputado fez estas declarações em um vídeo com 30 minutos de duração entregue hoje pelas Farc a uma comissão da Igreja Católica e ao ex-defensor público de Cali Hernán Sandoval e que é em uma prova de vida do político.

No vídeo, o político, que aparenta um bom estado de saúde, acrescenta que tem todas suas esperanças de libertação postas na mediação de Córdoba e de Chávez, gestão à qual Bogotá colocou fim no dia 21 de novembro do ano passado.

O deputado insiste em que o encontro entre as partes é a última oportunidade que os seqüestrados têm de retornar com vida ao seio de suas famílias.

López é o único sobrevivente do grupo de 12 políticos que as Farc seqüestraram na cidade colombiana de Cali em 2002, dos quais 11 morreram em cativeiro há um ano. EFE ocm/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.