Deputado iraquiano denuncia perseguição contra membros do Bloco Sadr

Bagdá, 20 jun (EFE).- O deputado do Bloco Sadr, Ahmed al-Masudi, denunciou hoje que a operação militar do Exército iraquiano contra a insurgência na província de Misan, no sul do Iraque, se transformou em uma perseguição contra os membros de seu grupo.

EFE |

Em declarações à agência de notícias independente iraquiana "Aswat al-Iraq", Masudi disse que "o Bloco Sadr apoiava a ofensiva, que, de uma operação militar contra os insurgentes, se transformou em processo político" contra os membros do grupo.

Além disso, o deputado pediu a libertação do vice-governador de Misan, Rafie Jabbar, e de outros dois responsáveis políticos, pertencentes ao Bloco Sadr, que foram detidos dentro da operação.

A ofensiva militar começou na quinta-feira na província de maioria xiita de Misan, na fronteira com o Irã, para combater "bandidos, proscritos e milícias ilegais".

Misan é um dos redutos da milícia xiita pró-iraniana Exército Mehdi, do clérigo radical Moqtada al-Sadr, acusada pelas forças americanas de ter vínculos com a Guarda Revolucionária iraniana. EFE am/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG