Deputado holandês autor de filme contra Islã é proibido de entrar no R.Unido

Londres, 12 fev (EFE).- O deputado holandês Geert Wilders, que queria exibir em Londres seu polêmico filme contra o Corão, foi devolvido hoje a seu país depois de ter sua entrada negada no Reino Unido.

EFE |

Segundo a "BBC", Wilders embarcou pouco depois das 15h30 (de Brasília) em um voo a Amsterdã depois de ter sido barrado pela alfândega no aeroporto de Heathrow, aonde chegou esta manhã, por ordem do Ministério do Interior, que afirmou que sua presença em território britânico era um risco para a segurança pública.

Segundo as autoridades britânicas, a presença do deputado no país poderia incitar o ódio religioso e racial.

Wilders viajou a Londres convidado pelo direitista Partido Independente do Reino Unido para exibir na Câmara dos Lordes seu filme "Fitna", que em 2008 foi alvo de uma condenação internacional e gerou protestos de vários países islâmicos.

No filme, Wilders pede a proibição do Corão e compara a religião muçulmana com o nazismo.

O "Fitna", título que significa "caos" ou "enfrentamento" em árabe, contém versos corânicos que se misturam com imagens dos atentados perpetrados nos Estados Unidos, em 11 de setembro de 2001; em Madri, no dia 11 de março de 2004; e em Londres, em 7 de julho de 2005.

O Ministério do Interior britânico disse que "o Governo se opõe ao extremismo em todas as suas formas", e afirmou que as opiniões do parlamentar holandês ameaçariam a segurança pública.

Em entrevista à "BBC" minutos antes de retornar à Holanda, Wilders reclamou da "hipocrisia" do Governo trabalhista de Gordon Brown, porque "há quatro ou cinco semanas estive no Parlamento britânico e não houve qualquer problema na ocasião".

"Não vim aqui para protestar ou para me manifestar pelas ruas de Londres. Sou um parlamentar da Holanda (...) acho que o Executivo britânico esqueceu que democracia significa diferença e debate", disse Wilders.

"Este é um dia muito triste para a democracia", acrescentou o deputado, que perguntou se na próxima vez que um parlamentar britânico expressar sua oposição sobre a política agrária da União Europeia (UE) deverá ser proibido de entrar na Holanda.

O ministro de Assuntos Exteriores britânico, David Miliband, justificou a decisão de seu colega de Interior, Jacqui Smith, e indicou que "no Reino Unido há leis claras no que se refere à incitação ao ódio racial e religioso".

"O filme (de Wilders) tem uma mensagem de extremo ódio antimuçulmano e neste país não há liberdade para incitá-lo", disse Miliband à "BBC". EFE fpb/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG