Deputado da cueca diz a amigos que renunciará a Câmara dos EUA

Democrata que reconheceu ter mantido contatos online 'inapropriados' com seis mulheres é pressionado a deixar cargo

iG São Paulo |

AP
Deputado democrata Anthony Weiner dá coletiva em Nova York (06/06/2011)
O deputado pelo 9º distrito de Nova York, o democrata Anthony D. Weiner, disse a amigos que planeja renunciar pela crescente pressão de colegas de seu partido para deixar a Câmara de Representantes dos EUA depois de suas lascivas trocas de mensagens online com mulheres, informa nesta quinta-feira o New York Times.

A notícia surge enquanto os líderes democratas se preparam para manter uma reunião nesta quinta-feira para discutir se o congressista de 46 anos deveria ser afastado de suas incumbências, medida que afetaria severamente suas funções.

Weiner chegou à conclusão de que não poderia mais continuar no cargo depois de longas discussões com sua mulher, Huma Abedin, que voltou na terça-feira de uma viagem ao exterior com sua chefe, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton.

A pressão para que Weiner deixe a Câmara aumentou nos últimos dias, com importantes democratas da Casa, incluindo a líder do partido Nancy Pelosi, pronunciando-se publicamente no fim de semana para que ele poupasse a si mesmo, a sua família e seu partido de mais embaraços.

A pressão se intensificou ainda mais no início desta semana, quando o presidente dos EUA, Barack Obama, sugeriu publicamente que ele deveria renunciar, e Pelosi disse que retiraria suas atribuições se não deixasse o cargo.

Ao mesmo tempo, a Comissão de Ética da Câmara dos Representantes abriu formalmente uma investigação sobre a conduta de Weiner, incluindo a troca de mensagens privadas com uma adolescente de Delaware. A investigação levantou a perspectiva de que ele enfrentaria acusações formais e sanções, incluindo expulsão. Mas com sua decisão de renunciar, espera-se que a investigação termine, já que a comissão só tem jurisdição sobre as ações dos membros do Congresso.

AP
Foto sem data tirada do site BigGovernment.com supostamente mostra o deputado democrata Anthony Weiner sem camisa
A polêmica sobre Weiner começou no fim de maio, quando apareceu em sua conta do Twitter uma foto de um homem com uma cueca cinza. Primeiramente Weiner negou que a tivesse postado, depois disse que sua conta havia sido hackeada e, mais tarde, quando surgiu uma segunda foto - mostrando um peito atlético, depilado e a parte do rosto do nariz para baixo -, confessou que as imagens eram dele. Ele também reconheceu que tinha mantido conversas "inapropriadas" com seis mulheres.

Na quarta-feira, a ex-atriz pornô Ginger Lee, que garante ter conversado na internet com Weiner, afirmou que o político democrata lhe pediu há poucos dias que mentisse sobre sua relação . "Quando explodiu o escândalo, e as pessoas começaram a me mandar e-mails, não soube o que fazer. Então escrevi para Anthony Weiner, que me pediu para mentir sobre nossas conversas", afirmou Ginger Lee em comunicado.

A atriz disse que o congressista deveria renunciar porque mentiu ao povo e à imprensa "por mais de uma semana". A representante da atriz afirmou que o congressista e sua cliente chegaram a trocar uma centena de e-mails desde março, com os contatos tendo sido suspensos há duas semanas.

*Com New York Times e EFE

    Leia tudo sobre: euaAnthony WeinerGinger Leeobamademocratas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG