Toronto (Canadá), 30 mar (EFE).- Um juiz decidiu hoje não revogar a ordem das autoridades canadenses de impedir a entrada no país do controvertido deputado britânico George Galloway pelo envio de ajuda e dinheiro à Faixa de Gaza.

O juiz Luc Martineau disse que foi apropriada a decisão da Agência de Serviços Fronteiriços do Canadá de impedir a entrada de Galloway, que tinha em sua agenda discursos em várias cidades canadenses.

As autoridades canadenses comunicaram a Galloway que não ele não seria autorizado a entrar no país por fornecer ajuda humanitária e financeira ao Governo do Hamas na Faixa de Gaza, após a invasão israelense em janeiro.

O Canadá considera o Hamas uma organização terrorista, e proibiu qualquer tipo de apoio ao grupo.

Na semana passada, o ministro de Imigração canadense, Jason Kenney, defendeu a decisão da Agência de Serviços Fronteiriços de impedir a entrada do deputado britânico e criticou seu apoio ao Hamas.

Galloway, de 58 anos, tinha planejado viajar hoje a Toronto para participar de uma conferência intitulada "Resistir à Guerra de Gaza a Kandahar".

Os organizadores da viagem de Galloway assinalaram que a proibição não impedirá que o deputado fale para o público canadense.

Galloway, que se encontra em Nova York, deve falar hoje via videoconferência com o público reunido na igreja de Toronto, onde aconteceria um de seus pronunciamentos. EFE jcr/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.