Deputado britânico é detido por vazamento de dados oficiais

Londres, 27 nov (EFE).- O deputado e porta-voz de Imigração do Partido Conservador do Reino Unido, Damian Green, foi detido hoje por supostamente ter repassado dados oficiais do Ministério do Interior à imprensa britânica.

EFE |

"Podemos confirmar que Damian Green foi detido hoje por sua relação com seu trabalho como porta-voz de Imigração da oposição", confirmou o Partido Conservador em um comunicado.

Green foi preso em sua casa no sudeste da Inglaterra e levado para uma delegacia de Polícia do centro de Londres para ser interrogado. Porém, até o momento, não foram apresentadas acusações contra sua pessoa.

Segundo a Scotland Yard (Polícia Metropolitana de Londres), o político "tory" foi detido sob suspeita de "má conduta em uma repartição pública".

Além de ter sido detido, Green teve seu escritório, sua casa e uma segunda propriedade revistados por agentes.

Segundo a emissora "BBC", a detenção do político conservador acontece depois de um funcionário do Ministério do Interior ter sido suspenso e detido também por ter repassado dados oficiais.

Entre as informações vazadas estaria a de que um imigrante ilegal que chegou a ser empregado como servente na Câmara dos Comuns e uma carta da ministra do Interior, Jacqui Smith, que alertava para o fato de que a recessão econômica poderia provocar um aumento da criminalidade.

Um porta-voz do Partido Conservador admitiu que Green, como responsável da legenda em matéria de imigração, "revelou várias vezes informação que o Ministério do Interior decidiu não tornar pública".

"A divulgação dessa informação foi feita claramente em prol do interesse público. O senhor Green nega ter feito algo incorreto e defende suas ações", acrescentou o citado porta-voz.

Segundo a "BBC", a detenção de Green desagradou o líder dos conservadores, David Cameron, que apóia seu deputado.

Em Downing Street, escritório e residência oficial do primeiro-ministro Gordon Brown, um porta-voz disse que a detenção "é assunto da Polícia".

Esse funcionário acrescentou que o Brown "não teve conhecimento prévio da detenção de Green". EFE pa/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG