Deputada baleada no Arizona consegue se comunicar com gestos

Situação de Gabrielle Giffords continua grave, mas médicos dizem que estão otimistas com recuperação da congressista democrata

EFE |

A deputada democrata Gabrielle Giffords, que foi atingida no sábado por um tiro na cabeça durante ato em Tucson, Arizona, continua em estado grave, mas é capaz de se comunicar com gestos, disseram os médicos.

Em entrevista no hospital do Arizona em que está internada, o chefe de traumatologia, Peter Rhee, afirmou que, devido à operação a qual foi submetida, ela não pode falar, mas é capaz de "de responder a ordens simples".

Os médicos continuam otimistas sobre a evolução do quadro da congressista, especialmente porque seu estado é melhor do que se esperaria após ter sido atingida na cabeça. O chefe de neurocirurgia do hospital, Michael Lemole, explicou que a bala atravessou o crânio pelo lado esquerdo, mas não de um lado a outro, o que, segundo ele, é uma circunstância positiva.

Gabrielle Giffords foi operada 38 minutos após ser baleada. Os médicos interromperam a hemorragia, "que não era muito grave", retiraram o tecido danificado e também uma porção do crânio, que está guardado para ser reimplantado mais tarde. "A principal preocupação agora é a inflamação do cérebro", disse Lemole.

Rhee afirmou que um dos sinais positivos do estado de Gabrielle é que, quando passou o efeito da sedação, ela foi capaz de "responder a uma ordem simples". "Ela está na melhor situação em que poderia estar. Quando alguém recebe um tiro na cabeça e a bala atravessa o cérebro, as possibilidades de viver são muito pequenas, e a de acordar e até responder a ordens é ainda menor. Com um pouco de sorte, ela continuará assim", declarou Rhee.

    Leia tudo sobre: Gabrielle GiffordsArizonaTucsonEUAPartido Democrata

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG