Deposto primeiro-ministro tailandês não se apresentará à reeleição

Bangcoc, 12 set (EFE).- O ex-primeiro-ministro Samak Sundaravej, impedido de desempenhar o cargo pelo Tribunal Constitucional, não se apresentará à reeleição na sessão parlamentar da próxima quarta-feira, anunciou hoje sua formação, o Partido do Poder do Povo (PPP).

EFE |

Somsak Kietsuranont, da direção executiva do PPP, anunciou, em Bangcoc, que Sundaravej havia decido recusar a candidatura oferecida pelo partido.

Hoje, a Câmara Baixa do Parlamento convocada em sessão extraordinária não conseguiu escolher um novo primeiro-ministro, devido ao boicote realizado por deputados de várias tendências, cuja ausência impediu o quórum mínimo.

Só 161 deputados ocuparam seus assentos nas 480 cadeiras do Congresso, onde o PPP ocupa 233.

O primeiro-ministro interino, Somchai Wongsawat, do PPP, afirmou, após a fracassada sessão da manhã, que buscariam um candidato de consenso para a sessão da quarta-feira.

Wongsawat é um dos três nomes estudados pela coalizão governante para tomar a rédeas do Executivo e superar a crise.

O chefe do Exército tailandês, Anupong Paojinda, insistiu hoje em que a melhor solução seria a formação de um Governo de união nacional, e propôs a suspensão do estado de exceção em Bangcoc, declarado em 2 de setembro.

Sundaravej aplicou a medida extraordinária depois que uma pessoa morreu e 44 ficaram feridas em um enfrentamento entre simpatizantes do Governo e opositores, mas o Exército se mostrou reticente à força, em prol do diálogo, para retirar os milhares de manifestantes que ocupam a sede governamental desde 26 de agosto. EFE tai/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG