Deposto presidente mauritano volta à terra natal após libertação

Nuakchott, 21 dez (EFE).- O deposto presidente mauritano Sidi Mohammed Ould Cheikh Abdallahi, deposto em um golpe de Estado em 6 de agosto, foi levado à capital Nuakchott, onde ficou em liberdade, para retornar horas depois a sua localidade natal, Lemden.

EFE |

Segundo a Frente Nacional para a Defesa da Democracia (FNDD), coalizão contrária ao levante militar, o ex-presidente não deu nenhuma declaração para explicar sua volta a Lemden.

Abdallahi, detido pelos militares golpistas após o levante, estava em prisão domiciliar em sua localidade natal, situada a cerca de 250 quilômetros de Nuakchott, desde 13 de novembro.

Os golpistas, liderados por Mohammed Ould Abdelaziz, tinham prometido libertá-lo antes de uma grande assembléia que será realizada em 27 de dezembro, com a representação dos diferentes estamentos da sociedade e o pretenso objetivo de refundar a democracia no país.

O Alto Conselho de Estado, a mais alta instância na Mauritânia, tinha se comprometido a colocá-lo em liberdade após a visita, no início de dezembro de uma delegação internacional liderada pela União Africana e pela Liga Árabe, na qual ambas as organizações se reuniram com Abdelaziz. EFE moo-hm/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG