Deportação separa menina de 13 anos dos pais

Uma adolescente japonesa cujos pais foram deportados para as Filipinas decidiu ficar em Tóquio com a tia. Após seus pais perderem uma batalha legal de três anos para ficar no país, Noriko Calderon, de 13 anos, teve de escolher entre ficar no Japão ou ir viver com os pais em uma comunidade rural nas Filipinas. Ela foi ao aeroporto principal de Tóquio dizer um adeus emocionado aos dois.

BBC Brasil |

O casal de filipinos Arlan e Sarah Calderon usou passaportes falsos para entrar no Japão no início da década de 1990, e a filha nasceu e foi criada no país.

A polícia da imigração prendeu Sarah Calderon em 2006. Desde então, a família vem brigando para ficar unida.

Drama

Os Calderon argumentavam que deviam permanecer no Japão porque o pai de Noriko tinha um emprego estável no país e a filha falava apenas japonês. O pedido da família foi negado pelo tribunal em fevereiro, e Noriko teve de fazer sua escolha.

"O Japão é minha terra-mãe", disse a adolescente à rede de televisão CNN, quando questionada sobre por que decidiu ficar para trás enquanto os pais eram deportados.

Os pais, por sua vez, dizem que a filha terá uma vida melhor no Japão do que na comunidade rural onde vão viver nas Filipinas.

"Não poderemos estar lá quando ela mais precisar de nós", disse Arlan Calderon à CNN. "Ela terá de se proteger por conta própria. Eu sinto muito por isso."

Ativistas dizem que as rígidas leis de imigração no Japão infringem os direitos humanos.

De acordo com a lei japonesa, os Calderon não terão permissão de voltar ao país durante cinco anos.

Leia mais sobre deportação

    Leia tudo sobre: deportação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG