Washington, 14 out (EFE) - O candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, John McCain, lançou hoje um plano para enfrentar a crise financeira, com um pacote de cortes de impostos, eixo da política econômica do presidente americano, George W. Bush, e alívios econômicos para os aposentados.

O plano de McCain, que, segundo o "The New York Times", soma medidas econômicas no valor de US$ 52,5 bilhões, foi anunciado um dia antes do último debate com seu adversário, o democrata Barack Obama.

Faltando 21 dias para as eleições, McCain aparece atrás nas pesquisas em relação a Obama, que, na segunda-feira, divulgou sua proposta econômica para a crise, com um custo estimado de US$ 60 bilhões.

As propostas de Obama incluem reduções tributárias para empresas que criarem novos postos de trabalho, a possibilidade para os cidadãos de retirar dinheiro de suas pensões sem penalizações e congelar temporariamente as execuções hipotecárias das pessoas que se esforçam para pagar suas parcelas.

"Precisamos agora é de uma ação ousada e rápida que encaminhe este país em uma nova direção", afirmou McCain, em um comício hoje na Pensilvânia.

"Não podemos passar os próximos quatro anos tal como passamos a maior parte dos últimos oito: esperando que nossa sorte mude", acrescentou, em uma tentativa de se distanciar do atual Governo republicano.

Entre as idéias específicas mencionadas por McCain está o rebaixamento, ao mínimo de 10%, no imposto cobrado pela retirada antecipada dos fundos de poupança para aposentadoria.

O senador do Arizona propôs que se imponha o imposto mínimo este ano e por todo 2009, o que representará US$ 36 bilhões.

McCain sugeriu a redução para 7,5% entre 2009 e 2010 da taxa tributável mais alta aos lucros obtidos em investimentos a longo prazo, com um custo de US$ 10 bilhões, e que se exima de impostos o seguro-desemprego.

"Nos últimos 21 dias, vimos desvanecerem instituições de Wall Street que foram outrora sólidas, vimos enormes reviravoltas nos mercados e vimos novos compromissos do Governo por centenas de bilhões de dólares", disse McCain.

"Se for eleito presidente, ajudarei a criar empregos para os americanos da forma mais eficaz que um presidente pode fazê-lo: com cortes de impostos voltados especificamente à criação de empregos, e a proteção de suas economias de toda a vida", acrescentou o senador.

McCain dedicou parte do discurso a criticar as propostas de Obama, assim como a lembrar suas promessas de que combaterá a corrupção, o abuso de poder e os gastos supérfluos no Governo.

Ele se comprometeu a ajudar as famílias "a permanecerem em seus lares, os aposentados a preservarem suas economias, os estudantes a pagarem seus estudos, e cada cidadão a ter acesso à cobertura médica". EFE jab/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.