Demolições no Sudão deixam 30.000 desabrigados, diz ONU

Por Skye Wheeler JUBA, Sudão (Reuters) - A Organização das Nações Unidas pediu nesta quarta-feira às autoridades do Sudão do Sul que interrompam uma campanha de demolição que teria deixado mais de 30.000 pessoas desabrigadas na capital.

Reuters |

"É de grande preocupação", disse um porta-voz da ONU. "Eles (autoridades do Sudão do Sul) prometeram parar, mas as demoliçoões continuaram".

A capital do Sudão do Sul, Juba, tem experimentado crescimento descontrolado desde que a região de maioria cristã e animista encerrou uma guerra civil de duas décadas com o Norte, de maioria muçulmana, em 2005.

O fim do conflito criou um parlamento no Sul e deu à região participação nas receitas nacionais de petróleo.

O retorno de relativa estabilidade trouxe de volta milhares de pessoas à cidade, que se transformou em um movimentado centro comercial.

Nos últimos meses, autoridades do Estado vizinho de Equatória Central enviou dezenas de tanques e equipes de demolição para derrubar centenas de estruturas temporárias, barracas e favelas que, de acordo com eles, não estavam com as devidas licenças.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG