Democratas se fortalecem no Senado americano e ampliam maioria

Washington, 4 nov (EFE).- Os democratas conseguiram ampliar sua posição de maioria no Senado dos Estados Unidos, no qual esperam atingir o número de 60 cadeiras do total de 100 pela primeira vez em três décadas, segundo projeções feitas pelas redes de TV locais.

EFE |

Atualmente, os democratas contam com 51 cadeiras na Câmara Alta - incluindo os dois independentes que costumam votar com eles - frente a 49 dos republicanos.

Às 22h locais (0h de Brasília), os democratas já tinham somado quatro novas cadeiras, com 55 ao todo.

Os democratas sonham em chegar ao número de 60 cadeiras, o que lhes permitiria, ao ter maioria absoluta na Casa, avançar em sua agenda legislativa com pouco ou nenhuma obstrução republicana.

Para atingir essa condição, que outorgaria aos legisladores da "bancada azul" folga para aprovar futuras leis no Senado apesar da oposição dos republicanos, os democratas necessitam assegurar cinco cadeiras mais, além das quatro que já conquistaram hoje à noite.

Nestas eleições, estão em jogo 35 cadeiras do Senado, 23 das quais pertencem atualmente a republicanos - os democratas têm 12.

Por enquanto, o ex-governador democrata da Virgínia Mark Warner ficou com a cadeira de seu estado no Senado, ocupando a posição do republicano John Warner, que deixa a política.

Os republicanos perderam outra cadeira na Carolina do Norte, segundo as projeções, onde Elizabeth Dole foi derrotada pelo democrata Kay Hagan.

Uma terceira cadeira republicana caiu em mãos democratas em New Hampshire, onde Jeanne Shaeen derrotou John Sununu.

O democrata Tom Udall ficou com uma vaga na Câmara Alta pelo Novo México, em detrimento do republicano Steve Pearce. Udall substituirá o também republicano Pete Domenici, que deixa a Casa após 35 anos.

No entanto, os democratas desperdiçaram uma chance importante em Kentucky, permitindo ao líder republicano Mitch McConnell que mantivesse sua vaga no Senado.

A republicana moderada Susan Collins foi reeleita, por sua vez, no Maine, o que traz dificuldades às aspirações democratas de obter a maioria absoluta de 60 cadeiras na Câmara Alta.

Além disso, o senador republicano Saxby Chambliss conseguiu "defender" com êxito sua cadeira pelo estado da Geórgia.

No outro lado do Capitólio, os democratas pretendem ficar com entre 25 e 30 cadeiras na Câmara de Representantes (Baixa), na qual controlam atualmente 235 vagas frente a 199 dos republicanos.

Na Câmara de Representantes estão em jogo todas as 435 cadeiras nas atuais eleições. EFE cae/fr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG