Democratas lançam campanha e criticam escolha de vice de McCain

Washington, 30 ago (EFE) - Com o fim da convenção democrata, Barack Obama e Joe Biden mergulharam hoje fundo na campanha eleitoral, enquanto John McCain e Sarah Palin realizarão seu primeiro ato conjunto antes da reunião republicana, em St.Paul, que começa na segunda-feira.

EFE |

Uma semana se passou desde que Obama apresentou ao público seu companheiro de chapa, Joe Biden, em Springfield, Illinois, e, uma vez finalizada a Convenção Democrata em Denver, Colorado, ambos se dedicam plenamente, pela primeira vez juntos, à campanha eleitoral.

Em sua primeira parada depois da Convenção, o senador por Illinois e Biden estiveram na sexta-feira na Pensilvânia e hoje viajaram para Ohio para ir ao funeral da legisladora democrata Stephanie Tubbs, que morreu no dia 20 de agosto em decorrência de um aneurisma.

Michigan será outro estado que os dois democratas visitarão neste fim de semana, aproveitando que agora todas as atenções estão em sua campanha, antes que sejam desviadas pela Convenção Republicana, que começará na segunda-feira em St.Paul (Minnesota).

Tanto Pensilvânia quanto Michigan são estados críticos nas eleições gerais, já que os votos podem pender tanto para um lado como para outro.

Se Obama perder em qualquer dos dois estados, seria obrigado a ganhar em vários estados que votaram em republicanos nas últimas eleições.

Consciente disso, o candidato democrata disse sexta-feira à noite em Beaver (Pensilvânia): "Preciso (ganhar na) Pensilvânia".

A tarefa não será simples e McCain está decidido a não facilitá-la. De fato, tinha previsto para hoje um ato de campanha em Washington, na Pensilvânia, com sua nova companheira de chapa, Sarah Palin.

O comício será o primeiro que McCain e a governadora do Alasca realizarão juntos depois que o senador pelo Arizona a apresentou oficialmente ao público na sexta-feira. Ohio será outra parada dos dois antes de irem para St.Paul para a convenção do partido.

A aparição de Palin na campanha eleitoral causou um grande efeito surpresa, já que a mãe de cinco filhos não figurava na lista dos possíveis vice-presidentes de McCain e, como se soube hoje, o candidato republicano se encantou pela governadora do Alasca após ter realizado apenas uma reunião com ela.

A equipe de campanha de Obama reagiu a isso hoje lançando um anúncio no qual critica indiretamente, a escolha do republicano.

O anúncio, intitulado "Sem Mudanças", não faz referências diretas à governadora do Alasca, mas se centra em ressaltar que a agenda de McCain continuará sendo a mesma, ou seja, a continuidade da política do atual presidente, George W. Bush, independentemente de quem fosse escolhido como seu "número dois".

Apesar dessa mensagem, o senador por Illinois ligou na sexta-feira a Palin para lhe felicitar pela candidatura à Vice-Presidência.

Obama e Biden não foram os únicos que fizeram campanha hoje por seu projeto comum na Casa Branca.

Hillary Clinton, que surpreendeu a todos na Convenção Democrata por seu apoio direto ao ex-rival nas primárias, voltou a pedir aos eleitores que votem em Obama.

"Com Barack Obama na Casa Branca e os democratas dominando o Congresso, criaremos as bases para revitalizar a economia e criar postos de trabalho (...)", disse a senadora por Nova York no discurso radiofônico dos democratas. EFE cai/bm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG