Democratas do Congresso dos EUA começam a examinar Orçamento de 2010

Washington, 25 mar (EFE).- Líderes democratas do Congresso dos Estados Unidos começaram hoje a examinar o Orçamento federal para o ano fiscal de 2010, tomando como base o plano de US$ 3,6 trilhões do presidente Barack Obama, muito criticado entre os republicanos.

EFE |

As propostas orçamentárias nas duas câmaras do Congresso refletem, em grande parte, as prioridades legislativas da Casa Branca, embora contenham menos despesas fiscais do que o plano de Obama.

A intenção dos democratas, que controlam as duas câmaras do Congresso, é votar o projeto de lei orçamentário no final da próxima semana, disseram fontes legislativas.

"Este Orçamento protegerá as prioridades do presidente Obama: educação, energia, cuidado de saúde, alívio para a classe média e uma redução do déficit pela metade", afirmou aos jornalistas o líder da maioria democrata do Senado, Harry Reid, após uma reunião particular com Obama no Capitólio.

O senador democrata Kent Conrad, que também participou da reunião, disse que "preservamos as principais prioridades do presidente, de reduzir nossa dependência do petróleo estrangeiro" e promover a excelência na educação e a reforma na saúde.

Acrescentou que o plano democrata para os próximos cinco anos prevê uma extensão dos cortes tributários para a classe média de 2001 e 2003.

Mas os republicanos continuaram suas queixas de que o plano orçamentário da Casa Branca é oneroso, contém muitos impostos e aumenta a dívida nacional a um nível insustentável a longo prazo.

De nada valem as promessas de Obama de que reduzirá pela metade, até 2012, o déficit de mais de US$ 1 trilhão que herdou da Administração do presidente George W. Bush.

O senador Judd Gregg, o republicano de maior categoria no Comitê de Orçamento do Senado, deixou claro que a oposição apresentará emendas com o objetivo de manter o déficit anual em menos de 2% do Produto Interno Bruto (PIB).

A visita de Obama ao Capitólio coincidiu com as reuniões iniciadas hoje pelos comitês orçamentários das duas câmaras do Legislativo, a fim de revisar o plano de despesas fiscais para o ano fiscal de 2010, que começa em outubro.

O diretor do escritório orçamentário da Casa Branca, Peter Orszag, tentou minimizar as diferenças entre as propostas democratas e o plano que Obama apresentou no mês passado, porque, segundo ele, "não são idênticas, mas são muito parecidas".

O porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs disse que Obama está "muito satisfeito com o progresso" do plano orçamentário, que "reflete as prioridades e investimentos que ele queria ver em um Orçamento". EFE mp/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG