CHICAGO - Os democratas obtiveram alguns importantes avanços nas eleições legislativas de terça-feira nos Estados Unidos, conquistando o controle das Assembléias de Nova York, Delaware, Nevada e Wisconsin, além da Câmara de Ohio, segundo resultados divulgados na quarta-feira.

Os republicanos, por sua vez, conquistaram a Câmara e o Senado estaduais do Tennesse e de Oklahoma, além do Senado de Montana.

"É um pouco como um impasse", disse Tim Storey, analista eleitoral da Conferência Nacional dos Legislativos Estaduais, segundo quem a eleição deu a ambos os partidos "algo para se vangloriar".

Os resultados são importantes porque afetam o mapa político a ser redesenhado depois do Censo de 2010.

Na terça-feira foram escolhidos também 11 governadores. Agora, os democratas controlam integramente (Executivo e Legislativo) 17 Estados; os republicanos controlam 8 Estados; e 24 estão divididos.

De acordo com Storey, os democratas provavelmente tiveram um pequeno aumento no número de parlamentares estaduais, mas o seu controle de ambas as Casas passou de 23 para 27 Estados.

Os republicanos controlam Câmara e Senado em 14 Estados. No caso de Montana, o controle da Câmara permanece indefinido.

O número de Legislativos divididos entre os partidos diminuiu de 12 para 7. Em Nebraska, o Legislativo é unicameral e apartidário.

Alan Rosenthal, professor da Universidade Rutgers, considera que não houve uma grande mudança no cenário nos Estados, mas disse que em Nova York, Ohio e possivelmente Wisconsin a bancada democrata pode controlar o processo de redistribuição dos distritos eleitorais.

Essa redistribuição permite que um partido solidifique ou amplie seu poder, ao traçar fronteiras eleitorais que beneficiem seus candidatos.

Os democratas capturaram o controle do Senado de Nova York, que estava nas mãos dos republicanos desde 1966. É a primeira vez desde 1935 que os democratas controlam todo o Legislativo e o governo do Estado, segundo Storey.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.