Democratas conseguem votos para aprovar reforma de Obama no Senado

Washington, 19 dez (EFE).- A maioria democrata no Senado dos Estados Unidos conta já com os 60 votos necessários para aprovar o projeto de lei de reforma no sistema de saúde, depois que Ben Nelson, um senador-chave, anunciou hoje que apoiará as mudanças.

EFE |

Nelson, senador democrata pelo estado de Nebraska, tinha se mostrado indeciso sobre apoiar a medida, ao considerar que deveria conter mais pontos contra o aborto.

O congressista divulgou seu apoio depois que o líder da maioria democrata no Senado, Harry Reid, anunciou uma série de modificações ao projeto, incluindo as concessões a Nelson no tema do aborto e financiamento para o estado que o senador representa.

Com o apoio de Nelson, a maioria democrata soma agora os 60 votos que precisa no Senado para desbloquear qualquer tentativa de veto da oposição republicana e poder aprovar finalmente a reforma, após meses de debate e negociação no Capitólio.

O objetivo dos democratas é aprovar a medida antes do natal, o que poderia supor uma votação durante a própria noite de 24 de dezembro.

A versão definitiva da medida proposta pelos democratas eliminou a criação de uma opção pública, um seguro de saúde público que concorreria com o setor privado.

Em seu lugar, será permitido às seguradoras privadas que ofereçam planos de cobertura no país inteiro, em vez de ficarem submetidas às regras de cada estado em particular.

Apesar do anúncio do apoio de Ben Nelson, a oposição republicana procura atrasar o mais possível a votação sobre o projeto.

Assim, este fim de semana obrigaram que seja lido em plenário o texto que contém as emendas, de mais de 300 páginas, o que se calcula que levará horas. EFE mv/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG