Democratas aumentam maioria no Congresso

O Partido Democrata teve uma vitória clara sobre o Partido Republicano na votação para as duas casas do Congresso americano. Os democratas levaram pelo menos cinco cadeiras do Senado que antes eram ocupadas por republicanos, aumentando a maioria do partido na casa.

BBC Brasil |

Na Câmara dos Representantes, os democratas já ultrapassaram a maioria de 235 cadeiras que antes ocupavam e a projeção de alguns Estados ainda não foi computada.

No Senado, com quatro Estados ainda para passar as projeções de resultados, de 100 cadeiras, os democratas têm 54 comparadas com 40 dos republicanos. Outras duas cadeiras foram garantidas por independentes.

Todas as 435 cadeiras da Câmara dos Representantes estavam em disputa nessas eleições, enquanto apenas 35 das 100 cadeiras do Senado estavam disponíveis.

Analistas dizem que, ao garantir o controle nas duas casas, será mais fácil para Barack Obama aprovar projetos de lei que pretende implementar.

Apesar do sucesso, os democratas não conseguiram obter 60 cadeiras no Senado - conhecido como 'super maioria', que poderia evitar que senadores republicanos usassem procedimentos como o filibuster - no qual um senador começa a discursar para atrasar, e efetivamente bloquear, a votação de um projeto.

Derrota republicana
Os candidatos republicanos tiveram um dia difícil nas urnas na maioria dos Estados onde a disputa estava acirrada.

Na Virgínia, eleitores substituíram o veterano republicano John Warner no Senado pelo democrata e ex-governador do Estado, Mark Warner.

Houve algo parecido no Novo México, com o democrata Tom Udall eleito para substituir o senador republicano Pete Domenici. O primo de Udall, Mark Udall, também tirou o lugar de um republicano no Colorado.

Na Carolina do Norte - um dos Estados onde as pesquisas previam uma disputa apertada - as projeções mostram a republicana Elizabeth Dole derrotada de maneira convincente pelo democrata Kay Hagan.

No Estado de New Hampshire - tradicionalmente democrata, mas atualmente com um republicano, John Sununu, no Senado - as projeções sugerem que a democrata e ex-governadora Jeanne Shaheen conquistou o posto.

Controvérsia no Alasca
Com algumas projeções ainda não computadas, os democratas também esperam obter ganhos em outros redutos republicanos.

Um dos alvos mais surpreendentes tem sido o Alasca, cuja delegação no Senado tem sido republicana desde 1981.

O atual senador Ted Stevens tem sido uma figura dominante na política do Estado desde 1968, quando ele conquistou a cadeira pela primeira vez.

Mas, em outubro, ele foi condenado por mentir sobre presentes que havia recebido e já estava enfrentando uma dura batalha contra o prefeito democrata de Anchorage, Mark Begich.

Mas houve também algumas vitórias para os republicanos. Em Kentucky e Mississipi, o partido conseguiu manter suas cadeiras apesar de um esforço determinado dos democratas.

Em onze Estados, eleitores também votaram para governador. Em 36, eles também podiam decidir sobre 153 propostas que estavam sendo apresentadas.

Entre as propostas em votação estavam o fim do direito de aborto na Dakota do Sul e a proibição do casamento entre pessoas do mesmo sexo em três Estados, entre eles a Califórnia.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG