O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, aceitou nesta sexta-feira a demissão do diretor da divisão de assuntos militares da Casa Branca, Louis Caldera, depois do sobrevoo de Nova York por um aparelho da esquadrilha presidencial, o que fez recordar à população o terror de 11 de setembro, informou a Casa Branca.

"A controvérsia em torno da operação fotográfica realizada por um aparelho presidencial sobre Nova York, tornou impossível para mim continuar dirigindo de forma eficiente a divisão militar da Casa Branca", diz a carta de Caldera dirigida ao presidente.

Barack Obama, furioso com o episódio, havia ordenado no final de abril uma investigação sobre a operação no céu nova-iorquino.

lal-emp/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.