Delegação internacional chega à Mauritânia para discutir crise

Nuakchott, 6 dez (EFE).- Uma delegação conjunta de seis organizações internacionais, entre elas a União Africana, as Nações Unidas e a União Européia (UE), chegou hoje a Nuakchott para buscar uma solução à crise gerada após o golpe de Estado de 6 de agosto na Mauritânia.

EFE |

A delegação, liderada por Mohammed Saleh Annadir, é integrada também por membros da Liga Árabe e da Organização da Conferência Islâmica (OCI).

Em sua chegada a Nuakchott, a delegação foi recebida pelo general Mohammed Ould Abdel Aziz, presidente do Alto Conselho de Estado (HCE).

Saleh Annadir lembrou que a comunidade internacional decidiu em reunião, em 21 de novembro, o envio de uma missão a Nukchott para ajudar a solucionar a crise.

Segundo ele, seus companheiros viajarão amanhã à localidade de Lemden para se reunir com o presidente deposto Sidi Mohamed Ould Cheikh Abdallahi.

O grupo terá uma reunião em 12 de dezembro em Bruxelas "para avaliar os contatos e ver como ajudar os mauritanos a encontrar uma solução que permita superar essa situação".

A UE tinha dado à Mauritânia um prazo de até 20 de novembro para restabelecer o antigo presidente em suas funções, sob pena de anunciar sanções econômicas contra esse país.

A União Africana, por sua parte, deu um ultimato que expirou em 6 de outubro para o restabelecimento da ordem constitucional. EFE mo/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG