Gaza, 7 out (EFE).- Uma delegação do Hamas viajou hoje de Gaza para o Egito para uma rodada de negociações com funcionários egípcios, com o qual tenta acabar com a crise interna na Autoridade Nacional Palestina (ANP).

A delegação é formada por representantes islâmicos palestinos que vivem em Gaza, Cisjordânia e Damasco, sede do Escritório Político do movimento, disseram fontes do Hamas.

Khalil al-Khaya, um dos representantes de Gaza, disse à imprensa que a viagem da delegação "reflete o interesse do movimento em alcançar um compromisso e resultados".

"O Hamas está bem preparado para um diálogo sério no qual sejam abordadas todas as questões palestinas", declarou.

Um de seus principais líderes, o ex-ministro de Assuntos Exteriores, Mahmoud Zahar, afirmou antes de abandonar a Faixa que sua equipe negociadora chega ao Cairo "incondicional" e disposta "a ver o que os egípcios propõem".

O Hamas controla Gaza desde junho de 2007, quando pegou em armas contra o Fatah, do presidente Mahmoud Abbas, que desde então apenas exerce seu domínio sobre a Cisjordânia.

Abbas costuma qualificar a revolta dos islâmicos como "um golpe de estado" e exige que antes de voltar ao diálogo nacional "desfaçam" tudo o que fizeram e peçam perdão.

Hoje, o líder do grupo parlamentar do Fatah, Azzam al-Ahmad, afirmou que "o diálogo com o Hamas não começará sem a assinatura de um acordo que acabe com o estado de divisão" entre os dois territórios palestinos.

Nos últimos meses o Egito atuou como mediador entre as diferentes facções palestinas, que deseja sentar para dialogar. EFE sa'ar/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.