Delegação do Hamas deixa Egito sem acordo sobre trégua com Israel

Cairo, 21 mai (EFE).- A delegação do grupo palestino islâmico Hamas, que chegou há dois dias ao Cairo para tentar acertar uma trégua com Israel, deixou hoje a capital egípcia com as mãos vazias, após um novo fracasso dos contatos nos quais o Egito atua como mediador.

EFE |

Segundo fontes do serviço de Inteligência egípcio, os dirigentes palestinos saíram da reunião preocupados com a falta de um acordo, mas não fizeram nenhuma declaração.

Apesar da imagem deixada pelos líderes palestinos, as fontes egípcias afirmaram que houve "pequenos avanços".

No entanto, as mesmas fontes disseram que as duas partes terão que esperar a chegada, prevista para a próxima semana, do mediador e chefe da Inteligência egípcia, Omar Suleiman, em viagem a Israel para apresentar ao Governo do primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, as novas questões surgidas nesta rodada de negociações.

Já fontes palestinas no Cairo comentaram que é muito provável que o escritório político do Hamas, localizado em Damasco por razões estratégicas, se pronuncie esta noite sobre o resultado deste encontro com os mediadores egípcios.

Dois dias antes dos novos encontros, o ministro da Defesa israelense, Ehud Barak, condicionou o acordo com o Hamas à libertação do soldado Gilad Shalit, em poder do grupo islâmico desde junho de 2006.

Como contrapartida à libertação de Shalit, o Hamas exige a libertação de mil dos 11 mil presos palestinos em cadeias israelenses, pedido que Israel não parece disposto a aceitar.

As negociações no Cairo tratam sobre as condições de uma possível trégua de seis meses com Israel, na qual o Estado judeu interromperia suas operações militares em Gaza e suspenderia o cerco econômico à Faixa.

Em troca, Israel pede que os grupos palestinos armados acabem com o lançamento de foguetes de Gaza contra cidades israelenses. EFE aj/wr/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG