Del Ponte acusa líderes kosovares de tráfico de órgãos

Vários líderes dos albaneses de Kosovo, incluindo o atual primeiro-ministro Hashim Thaci, estiveram envolvidos no tráfico de órgãos extraídos de prisioneiros sérvios, denuncia em um livro Carla del Ponte, ex-promotora do Tribunal Penal Internacional para a antiga Iugoslávia.

AFP |

Quase 300 prisioneiros sérvios e de outros países eslavos, incluindo mulheresm foram transferidos em 1999 do Kosovo para a Albânia, onde eram colocados em uma espécie de prisão para a extração dos órgãos, afirma a jurista suíça, que durante oito anos comandou a promotoria do TPI, que tem sede em Haia.

"Depois, estes órgãos eram enviados do aeroporto de Tirana para clínicas no exterior para ser implantados em pacientes que pagavam", afirma Del Ponte em um capítulo do livro "La caccia. Io e i criminali di guerra" (A caça. Eu e os criminosos de guerra), escrito em parceria com Chuck Sudetic, um jornalista do New York Times.

"Os dirigentes de nível intermediário e elevado do UCK (Exército de Libertação de Kosovo) estavam a par e estavam envolvidos de maneira ativa no contrabando de órgãos", acusa.

Em 1999, os dois principais dirigentes do UCK, que lutava contra o regime do ex-presidente sérvio Slobodan Milosevic, eram Agim Ceky, primeiro-ministro de Kosovo entre março de 2006 e janeiro de 2008, e Hashim Thaci, atual premier de Kosovo.

ljm/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG